Como diversificar sua Carteira de Ações?

Se você quer parecer um sábio do mercado financeiro, quando surgir o assunto diversificação de investimentos, jogue a frase no ar: “Nunca coloque todos os ovos na mesma cesta”. Pronto, duvido que alguém questionará seus incríveis e originais conhecimentos!

Então é hora de cometermos uma quase heresia: evite diversificar demais seus investimentos! Calma, nós temos uma explicação.

Seguimos a linha do fantástico livro “Os Axiomas de Zurique”. Sobre o tema, o autor prega de só devemos apostar o que achamos que vale realmente a pena ganhar. Vamos a um exemplo prático. Você tem R$ 100 mil. Aposta em 25 empresas, R$ 5 mil em cada. Se uma dessas ações dobrar de valor, você terá ganho R$ 5 mil reais. Parece bom? Você achou uma oportunidade maravilhosa, mas sua carteira teve uma valorização de 5%! Vale a pena estudar tanto para quando der uma “sorte” dessas ganhar 5%? Acho que não.

Além disso, nesse exemplo você teria que acompanhar no detalhe essas 25 ações e mais algumas outras que ainda não tenha comprado para caso de substituição da carteira. Qual a qualidade desse seu estudo?

Porém, se você tiver uma quantidade menor, como 5 ou 6 ações, poderá acompanhá-las bem mais no detalhe, diversificando risco entre elas mesma (outro momento entraremos mais nesse detalhe). “Mas e o risco de um desses papeis cair 30, 40%? Iria acabar com a rentabilidade de minha carteira!” Isso é verdade. A maior arma de um investidor é saber lidar com a perda. Lição de vida: controle sua perda! Coloque sempre uma perda máxima para cada papel (ex: 10%). Se cair nesse patamar, respire fundo e venda. O nome disso é Stop Loss. Nunca, nunca mesmo tente recuperar a perda comprando mais desse papel. Esse é o maior erro para quem investe em ações. Perdeu, perdeu. Bola para frente. Resumo, quando ganhar, ganhe muito. Quando perder (sim, você irá perder, várias vezes), perca pouco.